Bem-vindos! Welcome! Bienvenido!

REUNIÕES: QUINTAS E SÁBADOS ÀS 20:00 HS E DOMINGOS 18:00 HS - Na Qd 02,Av. principal do Setor Veredas, lote 11, loja - Fone: (61)8632-1316 falar com Nando -

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Sete Declarações de Jesus Acerca de Si Mesmo - Palavra do "Bola in the House" do dia 13/01/2010


Olá queridos e amados leitores.

Ontem 13/01/10 foi ministrada uma palavra abençoada pelo Senhor na reunião da Bola Brazlândia. Nos reunimos em comunhão e no amor de Jesus e nessa reunião compartilhamos o que João descreveu em seu evangelho a respeito de Jesus, desejando que seus leitores olhassem para Jesus como Filho de Deus e, nesta fé, experimentassem a vida abundante que vem de Deus (João 20.30,31). Assim, o estudo foi baseado nas sete declarações de Jesus acerca de si mesmo:

1. Eu sou o pão da vida.
2. Eu sou a luz do mundo.
3. Eu sou a porta das ovelhas.
4. Eu sou o bom pastor.
5. Eu sou a ressurreição e a vida.
6. Eu sou o caminho, a verdade e a vida.
7. Eu sou a videira verdadeira.


1. EU SOU O PÃO DA VIDA (João 6.35)

Este texto narra o dia seguinte à multiplicação dos pães (6.1-15). Jesus diz que a multidão não conseguiu entender que a multiplicação dos pães era um sinal (6.26). O conflito entre Jesus e a multidão é o mesmo que existe hoje e afeta a todos nós: enquanto Jesus quer dar-se às pessoas, as pessoas querem apenas o que Jesus tem para dar.

APRENDA
O destaque deste texto é a afirmação de Jesus: Eu sou o pão da vida. Seu desafio é para que você pare de correr atrás de coisas passageiras e priorize a única coisa que perdura para a eternidade: o encontro e a intimidade com Jesus, que mata de vez a fome, aquela sensação de que está faltando alguma coisa (6.35, 55).

2. EU SOU A LUZ DO MUNDO (João 8.12)

Jesus, ao afirmar: "Eu sou a luz do mundo", inicia um longo discurso que acaba provocando os fariseus (8.12-59). Em seguida, Jesus cura um cego de nascença e o escândalo aumenta ainda mais. Os judeus, à época de Jesus, acreditavam que uma doença congênita era maldição de Deus e uma punição em razão. do pecado das gerações anteriores. Os fariseus compreenderam a cura do cego como uma blasfêmia e uma afronta contra Deus. Em outras palavras, os fariseus estavam a perguntar: "Mas quem é esse camarada que pensa que pode mudar o decreto de Deus? Como ousa suspender um juízo de Deus e libertar este cego da maldição?".

APRENDA
Na verdade, a ênfase deste texto está no contraste entre luz e trevas, e a cura do cego é um meio de Jesus ilustrar sua afirmação sobre a luz do mundo. O contraste entre luz e trevas é característico do apóstolo João (leia 1.4-9; 3.19; 1Jo 1.5-7), e é uma metáfora com significados espirituais. As trevas identificam aqueles que estão sob o controle do mal, vivendo em rebeldia e desacordo para com Deus. Já a luz, identifica aqueles que vivem d e acordo com a vontade de Deus, pois que já foram Iibertos dos poderes do mal (8.31-36). Nesse caso, o cego representa aquele que andava em trevas, mas que Jesus trouxe para a luz.

3. EU SOU A PORTA DAS OVELHAS (João 10.7)

Na Palestina era costume que os pastores dormissem na porta do curral e se postassem no meio do caminho, entre as ovelhas e os lobos ou ladrões. Esta era uma forma dos pastores protegerem seus rebanhos.

APRENDA
Quando Jesus afirmou ser a porta das ovelhas, na verdade ensinou que Ele é o único que possui direitos sobre o rebanho e que somente com Ele as ovelhas estão em segurança. Jesus não vem para roubar, como o ladrão que usurpa o que não lhe pertence; tampouco vem para matar, como o lobo devorador. Pelo contrário, Jesus vem para dar a vida pelas ovelhas (10:11, 14,17), e guardá-las de todo o mal (10.27). As pessoas, portanto, devem fazer uma opção: ou se escondem em Jesus ou ficam à mercê de lobos e ladrões.

4. EU SOU O BOM PASTOR (João 10.11,14)

Os fariseus eram o grupo mais radical do judaísmo e, certamente, os maiores oponentes ao ministério terreno de Jesus. Sua distorcida interpretação da Lei de Moisés batia de frente contra a mensagem de Jesus. Os fariseus transformaram suas convicções em limites para a atuação de Deus, não conseguiam ver a diferença entre o espírito e a letra da Lei, supervalorizavam a aparência em detrimento da essência e criaram um modelo religioso opressivo.

APRENDA
Isso nos explica a palavra de Jesus:
Eu sou o bom pastor. Ele não estava se comparando com os fariseus. Os fariseus eram líderes religiosos que oprimiam os rebanhos: roubavam, matavam e destruíam em benefício próprio. Jesus, pelo contrário, deu a sua vida pelas ovelhas - morreu na cruz para satisfazer a justiça de Deus e agora pode dar vida completa a todos os que nele crerem. (João 10.10).

5. EU SOU A RESSURREIÇÃO E A VIDA (João 11.25)

Você se lembra que quando Jesus se apresentou como a luz do mundo, logo em seguida veio a narrativa da cura do cego de nascença como ilustração desta afirmação. Agora acontece a mesma coisa. Jesus afirmou que veio para dar vida completa para as pessoas (João 10.10), e Lázaro é uma ilustração clara desta promessa.

APRENDA
Lázaro, além de personagem real, é uma ilustração de nossa caminhada espiritual, pois eu e você passamos, ou podemos passar, pelas fases que ele passou. Senão, observe: À semelhança de Lázaro, você estava morto (João 11:17, 32,39; Efésios 2.1-3), Jesus chamou você da morte para a vida (João 11.43; Romanos 10.17), você trouxe para a vida alguns resquícios do seu tempo na morte (João 11.44; Romanos 7.24; 1 João 3.2), você tem hoje a oportunidade de aprofundar seu relacionamento com Jesus (João 12.2; 2 Pedro 3.18) e à semelhança de Lázaro, você é um instrumento de Deus para aproximar pessoas de Jesus. E quanto mais contundente for o seu testemunho de Jesus, mais dificuldades você vai enfrentar no mundo (João 12.9,10).

6. EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA (João 14.6)

Jesus disse "Eu sou o caminho, a verdade e a vida", numa ocasião muito especial. Ele estava contando aos discípulos que sua morte estava muito próxima, e para consolá-los, fez as seguintes promessas (João 14): Na casa do meu Pai há lugar para todos (14.2), Eu vou preparar lugar para vocês e depois voltarei para buscá-los, para que vocês fiquem juntos de mim (14.3), Não vou deixar vocês abandonados, eu voltarei para ficar com vocês (14.18) e se vocês me obedecerem, eu e o meu Pai vamos morar dentro de vocês (14.23).

APRENDA
A maioria das pessoas pensa que esta casa do Pai é o céu, onde os discípulos estarão juntos com Jesus na eternidade. Mas, Jesus está dizendo que a igreja é a casa do Pai, onde ele - Jesus - e os seus discípulos estão juntos hoje. "Eu sou o caminho, a verdade e a vida" quer dizer que Jesus é o ponto de fusão entre Deus e as pessoas, pois somente através dele, Deus se encontra com as pessoas e tão intimamente que mora dentro delas. A morte e ressurreição de Jesus trouxeram às pessoas a possibilidade de um relacionamento de unidade com o Deus tri uno (João 17. 22-24).

7. EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA (João 15.1)

O Velho Testamento chamava o povo de Israel de "videira" (I saías 5.1; salmo 80.8-11; Oséias 1 0.1). A nação de Israel era a maneira pela qual Deus pretendia manifestar a sua glória e chamar de volta todas as pessoas para um relacionamento vivo com Ele (Gênesis 12.1-3; Êxodo 19.1-6).

APRENDA
Jesus aparece dizendo que é a perfeita manifestação da glória de Deus (João 1.14,18) e o meio pelo qual as pessoas podem se encontrar com Deus (João 14.6). Esta metáfora da videira serve para descrever o relacionamento permanente entre Jesus e os seus discípulos, semelhante aquele firmado entre Deus e a nação de Israel. O tema central de João 15-17 é a presença de Jesus no mundo através da Igreja. O mais importante neste texto é a advertência de que somente através de um relacionamento íntimo com Jesus os discípulos manifestarão a presença de Deus no mundo. Isso é o que quer dizer: "Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (João 15.5). Jesus adverte que um discípulo que não dá fruto, Deus, que é o viticultor, poda e, quando começa a dar fruto, Ele limpa, para que dê mais fruto (João 15.2). O texto traz dois ensinos extraordinários:

1. Deus disciplina, ou poda, o discípulo que não dá fruto. Isto é, quando a vida de um discípulo deixa de ser uma manifestação da presença de Deus no mundo, então é hora de poda, de disciplina (Hebreus 12.4-11).

2. Deus aperfeiçoa, ou limpa, o discípulo para que dê mais fruto. Isto é, Deus vai purificando a nossa vida para que fiquemos cada dia mais parecidos com Jesus (Romanos 5.3,4; 2 Coríntios 4.6-11; Tiago 1.24).

Amém?!!

Esse foi um estudo da IBAB que estudei e adaptei para nossa reunião e o fogo que está queimando em mim após ter recebido essas palavras de Deus é o mesmo fogo que desejo que queime no seu coração e possamos ser modificados a cada letra acima.

EM MEU ABA QUE A CADA DIA ME SURPREENDE COM SUA ACEITAÇÃO EM MIM

Saulo Diniz Ferreira - Brasília DF

Nenhum comentário:

Postar um comentário